Mulher XL

Cláudia e Lane, talvez estes nomes não vos digam nada, mas eu quero apresentá-las. São duas Mulheres que começaram já há alguns anos um projeto muito importante no meu país de origem, Portugal.
Porque é que este projecto é tão importante? Porque este é o primeiro projecto em Portugal com iniciativas para Mulheres plus size, ou gordas se assim aceitarem. É graças a elas que a moda para Mulheres gordas foi e é mais falada em Portugal.

Conheci-as em 2010, passei com elas o “dia do manequim” que elas organizaram. Este foi o projeto que me ajudou muito na batalha que eu estava a seguir.

Há alguns dias, recebi um convite delas. Apresentar-me aos seguidores do blog MulherXL. Escrevi o texto com o coração e é por isso que quero partilhá-lo convosco também.


Podem verem a minha apresentação no blog Mulher XL, basta clicarem aqui.



Sou a Ana. Tenho 30 anos. Três filhos e um Homem que me ama e que eu amo. Sou livre. E leve.

Podia bem resumir quem sou hoje em dia nesta simples e curta frase. Podia dizer-vos que a minha vida é e sempre foi assim. Mas mentiria.
Mentiria se não vos dissesse que o caminho foi longo, pesado, dorido.
Nunca fui magra. Esperem, pesei 69kg numa fase da vida em que existia uma refeição de vez em quando. Era cinzenta. Não era saudável.
Por isso, nunca fui magra. Lembro-me de me terem sempre dito que tinha peso a mais segundo uma qualquer tabela que um chico-esperto achou por bem considerar como saudável.
Não fui a risota da escola, nem a gorda gozada pela sociedade. Não fui.
Fui a gorda, balofa, baleia, monstro, horrorosa, deformada, gordurenta e caixa de óculos que aquele a quem eu chamava erradamente “pai” fez questão de gozar, destruir a miúda que um dia seria Mulher com feridas por sarar.

Podia não vos contar nada disto e vocês chegarem ao meu blog e dizerem “tem a mania”, “que convencida”. E seriam injustos/as.
Aquilo que sou hoje é fruto de dor, de luta, de vontade de sair daquela onda de vitima.
Vivi durante anos fechada entre quatros paredes, anulei-me, privei-me de muitos prazeres da vida. Chorei horas a fio sempre que negava uma saída à praia, um encontro entre amigos. Chorei, e ele com a paciência que lhe é característica limpava-me as lágrimas.

Estavamos no inicio do ano de 2010, quis por um ponto final naquela “miúda” que se achava horrivel, vazia, cinzenta. Tinha ultrapassado os 130kg.
Quis curar-me. Quis deixar o peso de um passado longe dos meus ombros. Começava assim a longa caminhada da minha vida.
Hipnoterapia. Curei-me. Menos 15kg de um passado que me pesava. E não era gordura. Era dor. A dor pesa. Muito.
Comecei a achar que até tinha uns olhos giros. Procurei na internet Mulheres como eu, XL.
Encontrei o blog, este blog. Participei no Dia do Modelo. Diverti-me. Achei-me gira. Estava na hora de cuidar ainda mais de mim.
Assim o fiz, pequenos passos, grandes mudanças.
Mudança nenhuma acontece num estalar de dedos. Mudança nenhuma acontece sem existirem dias em que os braços só querem baixar e baixam. Mas no dia seguinte erguemo-nos ainda mais fortes porque a palavra desistir desistiu de nos assombrar.

Hoje, hoje acho-me gira que dói, não sou convencida. Sou transparente. Acho-me uma pessoa bonita e saber que consigo partilhar luz faz de mim uma “miúda gira”. Os meus olhos têm alma e já não é cinzenta. Hoje em dia brilha.
Decidi que estava na hora de fazer pelos outros aquilo que um dia fizeram por mim.
Decidi criar o blog “A Plus Size Girl Who Loves Fashion”. Sobre mim. Sobre ser Mulher. Gira. Gorda. Livre.

Lembro-me que quando via blogs de pessoas gordas aquilo que escreviam não me entrava no coração porque achava impossivel alguém aceitar ser diferente daquilo a que a sociedade chamava de “bonito”. Aquilo que me encantava era a sua postura nas fotos. Altivas. Fortes. Seguras.
Era aquela confiança que me transmitiam que eu invejava. Era aquela altivez que eu sonhava ter um dia.
E os sonhos realizam-se. Foi e é por isso que decidi criar um blog. Para ser aquela Mulher altiva que quem está nos seus dias cinzentos chamará de “inspiração”. Quero que olhem e que digam “Quero chegar ali. Quero andar direita, de cabeça erguida. Pisar o chão e mostrar ao mundo o que é ser Mulher”. Sonho alto, eu sei. Mas saber que posso criar sonhos e saber que alguém se inspira em mim para ser simplesmente forte, isso faz tudo valer a pena.

Podia contar-vos tanto, tão mais. Mas sei que nada desta confiança escrita muda o dia-a-dia de quem ainda não se ama. Sei que tudo começa na nossa cabeça e pode ser ajudada por quem já chegou ao ponto de se amar. Estou e estarei por cá. Assim, transparente para o que precisarem.
Lembrem-se, o tempo não tem pressa. Mas não o deixem passar em vazio. No dia em que a vossa vida chegar ao fim, querem chorar pelo que não fizeram por terem vergonha de uma sociedade de julgamento? Ou querem sorrir e gritar ao mundo “Valeu a pena!”?! Pensem nisso, todos os dias. É mais fácil.

Sejam livres. Sejam fortes. Sejam leves. Vivam.

14 comentários:

  1. Que texto tão bonito. E que estado tão bom aquele a que chegaste agora - a confiança é a chave para a felicidade, mesmo! Muitos parbéns pela força e pela vontade - concretizada - de sair desse estado em que nos colocamos tantas vezes, ou deixamos que nos coloquem. És uma inspiração!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada querida Joana, a busca do nosso equilíbrio devia ser uma das nossas prioridades :)

      Beijinho e mais uma vez obrigada!

      Eliminar
  2. Gostei muito do teu texto <3 espero que sejas uma fonte de inspiração de muitas meninas que tenham a auto-estima em baixo.


    És uma mulher muito bonita e nunca deixes que te digam o contrário.
    (www.heidiland.blogs.sapo.pt)

    ResponderEliminar
  3. Muito linda a sua história, linda porque partilhou connosco e porque relaciono-me muito com as suas palavras e mensagem.
    Obrigada pela sua partilha <3

    ~ Carla'C
    Coisinhas da Carla'C

    ResponderEliminar
  4. Boa Noite Ana,

    Antes de mais, deixe-me a felicitar pelo excelente trabalho que tem feito aqui pelo Blog! Parabéns, pode continuar que leitores, e Mulheres tendo você como inspiração, não vai faltar!! ;)

    Eu li atentamente (e até ao fim) este seu texto, que me encheu o coração de lágrimas. Pois você não se esconde atrás de uma personagem, mas mostra ao Mundo aquilo que você é! Uma Mulher que merece meu Respeito!
    Eu não sou Gorda ou Mulher XL, como quiserem chamar, muito pelo contrário sou "Esqueleto Andante" que só encontra defeitos e assim que vi uma frase que me chamou bastante atenção : “Quero chegar ali. Quero andar direita, de cabeça erguida. Pisar o chão e mostrar ao mundo o que é ser Mulher”, pensei assim: "Eu não sou a Mulher XL mas gostava imenso de ter a confiança dela, gostava de ter a confiança na Mulher que sou, como ela é..."
    Acredite que ADORAVA ter essa confiança toda! Mas apartir de Hoje vou tentar mudar e ser uma seguidora Nata do seu blog, pois você não só inspira gordas mas também Magras como eu.

    Muitos Parabéns!!

    Beijinhos,
    "Revy"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida "Revy",
      A tua mensagem é maravilhosa. Antes de sermos gordas, magras, altas, baixas, somos todas todas Mulheres e estamos vivas. Só estes factos merecem ser celebrados. Espero de coração que quem passe por aqui seja de que estatura for o importante é que leve a mensagem "a vida vale a pena. A vida tem de ser leve e vivida sem os julgamentos dos outros para que no fim possamos todos gritar que valeu a pena!"
      Ahhh e somos todos esqueletos andantes :D

      Grande beijinho e que comece esta vida de pé firme no chão, costas direitas e cabeça erguida!

      Um enorme beijinho

      Eliminar
  5. Obrigada pelo seu testemunho!
    Eu sou magra,sempre fui,sou bem mais velha que a Ana.No meu tempo também senti o sofrimento por ser magra.Superei! Ana,se nós não gostar-mos de nós ninguém gostará!Continue assim Ana!Mais importante que a beleza exterior,é o que a"aqui fazemos"!Força!
    (descobri o seu blogue,e a sua cara não me era estranha,pensei e durante a noite lembrei-me que os seus meninos eu já conhecia.Moraram perto de mim...Lembro-me de ver o seu marido com os meninos apanharem caracois nas traseiras do prédio)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá olá ;)

      Como o mundo é pequeno! É verdade, um dos passatempos favoritos dos meus filhos era andar a apanhar caracóis com o meu marido :D

      Haverão sempre pessoas para apontar seja porque somos gordos, magros, altos ou baixos. O importante é mesmo conseguir viver sem estar condicionado pelos julgamentos alheios.

      Um grande beijinho.

      Eliminar
  6. Ana,
    Acho que conseguiste o teu objectivo. Parabéns!
    Eu sou uma mulher L e não tenho sequer metade da tua confiança. Mas acredita que sou tua admiradora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico tão feliz por isso. Obrigada Ana!
      Por isso é que sempre disse, o tamanho do nosso corpo não deve de todo interferir na nossa postura para com a vida. Eu tenho confiança que dias melhores existem sempre e sede de viver. A minha postura vem daí, não do 46 que estão escritos nas calças :D

      Obrigada mais uma vez!
      Beijinho

      Eliminar

Feel welcome!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...